domingo, 28 de junho de 2015

{Resenha} A Máquina de Contar Histórias

Oi oi gente, 

Hoje trago a resenha de uma querida Vi Hits que está voltando agora com seu blog. 

Leiam e se apaixonem pela forma que ela escreveu essa incrível resenha 




Autora: Maurício Gomyde
Editora: Novo Conceito 
Número de Páginas: 192


Estava em busca de um livro de um autor nacional que me encantasse. E sabe aquele livro que te encanta pela capa e pelo título, para depois te encantar com a sinopse? Foi exatamente isso que aconteceu comigo quando vi em uma loja virtual o livro “A Máquina de Contar histórias”, de Maurício Gomyde. Como não amar uma capa que tem uma máquina de escrever (apenas quem tem mais de 30 anos sabe como era “sofrido” usá-la para datilografar – sim, essa máquina é a “mãe da computação” – textos), um sorvete de casquinha, uma roda gigante e um título que te faz viajar, imaginando que tipo de história é esta?  

Fora, a sinopse: 

Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias, o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família “V”.

Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

Depois disso, vi que tinha que lê-lo a qualquer custo, o que aconteceu pouco tempo depois. Livro em mãos, leitura iniciada e... muitos momentos de reflexão que, conforme o livro avançava, me dava vontade de chegar logo ao seu fim.

O livro começa no momento em que, após a divulgação de seu novo livro e o retorno ao hotel, “aquilo” acontece. O chão de Vinícius desmorona e a pressa em voltar para casa se torna algo inevitável, pois ele quer estar presente no enterro da esposa, Viviana, nem que seja no último minuto. Ao chegar ao cemitério e encontrar suas filhas, Valentina (a mais velha e que deixara inúmeras mensagens no celular do pai na noite anterior) e Vida (que muito nova, imagina que a mãe está apenas dormindo), e ele passa a tentar compreender tudo, do comportamento da filha e do motivo da rejeição, além de viver, a partir de agora, sem sua amada.

Na tentativa de encontrar um jeito de reconquistar a confiança de Valentina, ele descobre arquivos secretos e percebe que, o último modo de salvar tudo o que lhe restou é uma viagem em família. Uma frase marcante nos seis pedidos citados pela esposa durante um vídeo gravado pela filha é: “que a família V esteja completa”. A partir daí, começa a grande jornada de Vinícius: resgatar sua família, pois uma parte dela havia “levada”. Mas como?!

A fim de atender os demais pedidos de sua amada, Vinícius traça uma viagem com destino incerto para as filhas, pois vai depender delas em continuar o trajeto ou não. Mas, será que Valentina estaria disposta a se aventurar nisso, já que carrega em seu coração um ponto de vista sobre o pai, diferente daquilo que ele realmente é? Como enfrentar a imposição de Vinícius em meio a mágoas, rancores e a saudade da mãe? Para a pequena Vida, a viagem é apenas uma nova diversão (mesmo que não seja para ir à Disney), um novo mundo a ser descoberto e explorado. E para Vinícius, a união e o amor de sua família.
Você também passa a conhecer algumas cidades da Europa (e quer se aventurar nesses eventos, pois a família se divertiu muito) e também compreende a personalidade e identidade de cada personagem. E Vinícius também descobre que, entre o sucesso e a fama, o que é mais importante é...

O final do livro é uma surpresa agradável e reflexiva. E após terminar a leitura, eu pensei durante dias sobre toda a narrativa, por também ter também vivido um momento parecido com a história de Vinícius (perdi minha mãe para o câncer há pouco mais de 4 anos) e também por pensar no futuro, onde pode acontecer o que aconteceu com ele (por ter dois filhos pequenos, que precisam de atenção, amor e carinho).

Vivemos em um mundo onde valorizamos bens distintos e queremos sempre o melhor para os nossos amados. Trabalhamos até mais de 10 horas por dia se precisarmos, temos mais de um emprego, investimos alto em educação, alimentação e vestimenta, pensando no “bem” de nossos queridos. Mas, onde entra o amor nesse meio?! Será que realmente priorizamos o que achamos que seja o “melhor”, quando o “melhor” não é aquilo que nossos amados querem? Será que, no mundo em que vivemos, a palavra amor é exercida, vivida ou explorada com o significado real do termo?!

Parafraseando uma música de Renato Russo: “Quem inventou o amor? Me explica, por favor?” Porque o amor tem vários significados, falta nós encontrarmos aquele que mais faz sentido em nossas vidas. E, será que as pessoas ao nosso redor também compreendem o motivo de nossas fugas, de nosso modo de encarar a realidade e que precisamos de um refúgio para refletir um pouco, para depois retomar nossa rotina?! Como enfrentar a dor de frente, quando temos medo dela?! Como enfrentar as dúvidas, num momento onde nós não sabemos de onde tirarmos forças para prosseguir adiante? Enfim, reflexões da vida, reflexões do “seu eu”, reflexões do “nosso todo”.

Para mim, “A máquina de contar” foi uma das maiores surpresas lidas este ano. E eu admito que já estou em busca dos outros livros publicados pelo autor, pois se seguir a mesma didática, o livro feito com uma narrativa que te encanta e te faz querer chegar logo ao fim...  Pode ter certeza que Maurício Gomyde terá espaço garantido, sempre, na minha estante. 


-x-

Além de ser uma ótima pessoa, uma leitora excepcional, ela também é a nossa parceira no blog a partir de agora. 
Conheça um pouco mais sobre o trabalho dela


Blog 

E ai, o que acharam? Deixem suas opiniões :)


Um grande beijo e até a próxima 
Clara e Ketilin 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário