terça-feira, 26 de maio de 2015

{Resenha} Dois Garotos se Beijando

Autor: David Levithan 
Editora: Galera (Editora Record) 
Número de Páginas: 222
Classificação: 4/5 

Sinopse: Harry já beijou Craig tantas vezes, mas este é diferente de todos os beijos que vieram antes. Eles estavam se beijando com um objetivo, mas o objetivo não era eles; era o beijo em si. Eles não estavam usando o beijo para manter o amor vivo, mas estavam usando a amizade para manter o beijo vivo. Harry beija Craig e sente que há uma coisa maior que os dois bem ao redor daquele ato. Ele não estica a mão para alcançar essa coisa, ainda não. Mas sabe que está ali. E isso o torna diferente de qualquer outro beijo que eles ja deram antes. Ele sabe disso imediatamente



Visão Geral


Talvez esse seja o livro mais complicado de resenhar, pode ser que esse livro mexa com você apenas por essa breve exposição dos meus pensamentos.

Esse foi meu primeiro contato com livros que tratam do assunto LGBTQ. Sempre respeitei muito a opção sexual e com essa obra do David Levithan eu fiquei simplesmente chocada por ainda vivermos em um mundo tão preconceituoso. 

Dois Garotos se Beijando trata de um assunto muito comum hoje em dia, mas que muitas pessoas ainda tentam evitar a todo custo, como se isso fosse algum tipo de doença ou que fosse um assunto nojento. 


"[...] O amor é tão doloroso; como podemos desejar para alguém? E o amor é tão essencial; como podemos atrapalhar o progresso dele?"

David Levithan nos mostra em poucas páginas um mundo onde Craig e Harry estão lutando por uma causa maior do que o próprio beijo. Eles estão lutando, estão protestando por todo o preconceito que os gays passam, por toda a homofobia existente, por todos os olhares tortos por suas opções sexuais. Eles estão lutando por Tariq, que sofreu um ataque homofóbico na rua. O objetivo dos dois é quebrar o record no Guinness Book de o beijo mais longo. Para isso eles terão que manter o beijo por pelo menos 32 horas. 


"As pessoas gostam de dizer que ser gay não é como a cor da pele, não é uma coisa física. Elas dizem que sempre temos a opção de esconder. 
Mas, se isso for verdade, como é que eles sempre nos descobrem?"


David também apresenta outros personagens no livro. Cada um com a sua historia e seus objetivos. 

Peter e Neil, que enfrentam um pouco do ciumes, da descoberta do amor que sentem um pelo outro. Eles ainda não passaram dos beijos, essa parte ainda os assuntam um pouco. A família de Peter sabe de sua opção e o apoia imensamente. Os pais de Neil também sabem sobre a orientação sexual de seu filho, mas não é uma coisa dita, é reservado apenas para eles mesmos. 


"É possível dar palavras, mas não é possível tomá-las. E quando palavras são dadas e recebidas é que elas são compartilhadas."


Avery e Ryan acabam de se conhecer em uma festa e eles possuem cabelos coloridos, e isso chama atenção. Avery é transexual, nasceu menino em corpo de uma menina e desde que seus pais descobriram tomaram as providencias para que ele fosse feliz e deram remédios para que evitasse o tipo errado de puberdade. Ryan gosta de Avery logo no inicio da festa, mas não sabe sobre seu segredo, mas sabe que precisará dizer a verdade se quiserem começar algo, pois a verdade é essencial para se começar qualquer coisa. 


"[...] A magia se apaga naturalmente, com a distancia. Mas a proximidade... bem, quando funciona, a proximidade amplifica a magia."


E por ultimo, mas não menos importante, tem Cooper, um garoto que se fecha do mundo. Ele está descobrindo o que é ser gay, seus pais ainda não sabem sua opção sexual. E passa suas madrugadas em sites de relacionamentos criando perfis falsos a fim de se sentir poderoso, pois ele gosta da sensação de ter homens procurando por ele, mesmo que seu objetivo não seja ter um encontro com eles. 


"É difícil parar de ver ser filho como seu filho e começar a vê-lo como ser humano. 
É difícil parar de ver seus pais como pais e começar a vê-los como ser humanos
É uma transição bilateral, e pouquíssimas pessoas conseguem fazê-la com tranquilidade."


Durante o decorrer dos livros vamos nos apegando aos personagens, segurando o folego quando algo sai errado com o beijo, suspiramos depois de uma pequena discussão e o ato de fazerem as passes entre Peter e Neil. Nos emocionamos com o amor que está nascendo entre Avery e Ryan. E nos desesperamos ao ver o rumo que a vida de Cooper está tomando.


"[...] torce para que talvez deixe as pessoas com um pouco menos de medo do que antes de dois garotos se beijando e que as deixe mais abertas à ideia de que todas as pessoas nascem iguais, independentemente de quem beijam ou quem transam, independentemente dos sonhos que têm e do amor que distribuem."


O livro é narrado por dois gays que já morreram, o que torna o ponto de vista muito mais interessante, pois eles contam como era ser gay a alguns anos e como está sendo agora. 


"O silêncio é igual a morte, nós dizíamos. E por baixo disso havia a suposição, o medo de que a morte fosse igual ao silencio ."


Posso dizer com toda a certeza, que aprendi muito e me emocionei com esse livro, pois muitas vezes criticamos a vida que certa pessoa leva, mas não nos damos ao trabalho de ver por tudo o que ela já passou. Eu admiro muito quando um gay assume sua opção sexual, quando não se importa sobre o que vão pensar dele. Bato palmas para eles, pois ao contrario do que muita gente pensa, ser gay não é uma escolha, isso nasce com cada pessoa. Eles não deixam de ser menos humanos só porque não seguem os padrões exigidos pela sociedade. 


"Não começamos como pó. Não terminamos como pó. Nós fazemos mais do que pó.
É tudo que pedimos a vocês. Façam mais do que pó."



Recomendo muito!!!

Leia Ouvindo 


Um grande beijo

Ketilin e Clara

domingo, 24 de maio de 2015

{Autores Nacionais} - Fernanda França

Oi gente,

Aposto que muitas pessoas ainda sentem um preconceito enorme quanto aos autores nacionais certo? Pois é, eu também tinha. E parte desse preconceito ocorreu basicamente no período em que eu cursava o ensino médio.
Nunca fui fã de literatura propriamente dita, mas sempre amei ler. Amava me aventurar pelas páginas dos gibis, livros das “Desventuras em Série”,  a saga “Crepúsculo” então nem se fala, porém, eu era obrigada a ler os grandes clássicos da nossa literatura, e bem, não conseguia gostar nenhum pouco da leitura, não fluía, e por conta disso não conseguia ler nada que fosse nacional.
Isso até pouco tempo atrás, quando conheci alguns autores na Bienal de São Paulo de 2014. Eu e a Karla (minha grande e eterna amiga) fomos a Bienal e conhecemos a Marina Carvalho, Mauricio Gomyde e Fernanda França. Bater um papo com eles, conhecer sobre o trabalho que desenvolvem, me fez mudar e muito o meu conceito de livros nacionais.
A partir desta semana, iremos postar um autor brasileiro a cada domingo, a fim de que vocês conheçam um pouco mais sobre nossa cultura. 

Vamos lá !


Fernanda França





Tive o prazer de conhecer essa moça fofa pessoalmente durante a Bienal do Livro de São Paulo de 2014, entretanto, já era fã do seu trabalho.


A autora já publicou

9 Minutos com Blanda




Sinopse: Ótimo panorama, A minha mãe e a minha sogra planejavam o meu casamento, e eu nem sequer sabia se o meu namorado queria se casar comigo e eu não parava de pensar em um cara cujo nome eu desconhecia. Naquele momento, pensei: "Sou a pior espécie de mulher que já existiu, mas não posso desistir de mim mesma, senão estou perdida". Decidi dar uma chance para o que é real e tentar esquecer a história de cinema com o gerente de banco que era baterista. Até porque história de cinema é escrita para cinema e só acontece no cinema. Seria diferente comigo?


Malas, Memórias e Marshmallows 



Sinopse: Às vezes, o fim de algo pode ser apenas um novo começo. Após ser despedida do trabalho no dia de seu aniversário, Melissa Moya conhece Theodoro Brasil, seu vizinho, dando início a uma nova amizade que vai permitir que a jovem jornalista realize seu maior sonho: viajar mundo afora. Ela embarca no projeto "América sobre rodas", uma aventura por diversas regiões dos Estados Unidos, deixando para trás sua gata, Lady Gaga, sua família e seus amigos. Máquina fotográfica na mão, notebook debaixo do braço, melissa vai acabar percebendo que a vida sempre surpreende a cada momento, principalmente quando o assunto é o amor verdadeiro



Bolsas, Beijos e Brigadeiros 





Sinopse: Melissa é uma jovem e impetuosa jornalista, que vive de escrever suas deliciosas aventuras por belas e curiosas cidades do mundo, Em uma nova fase de sua vida profissional, ela viaja é Europa em busca de cenários para as suas matérias e também de suas raízes italianas. Em meio a essa instigante jornada, além dos percalços comuns a uma mochileira no Velho Mundo, Melissa precisa lidar com a distância de seus familiares queridos, principalmente de sua mãe - grávida de um filho temporão - e os misteriosos sumiços de seu namorado, Théo. O que será que ele esconde? Por que desaparece sem deixar rastros e reaparece como se nada tivesse acontecido? É o que o leitor irá descobrir ao ler este saboroso romance misto de um guia turístico da Europa


E participou também do livro Crisálida (conheça mais aqui)



Sinopse: O amor é uma das grandes forças capazes de transformar o mundo, mas nem sempre os seres humanos se dão conta e desperdiçam esse sentimento tão belo em sua ambígua busca pela felicidade. Por isso, as escritoras aqui reunidas falam do amor verdadeiro, que é inteiramente capaz de a tudo transformar. Como a crisálida, em seu estágio de transformação de lagarta em borboleta - ou seja, em pura e encantadora beleza -, o amor é igualmente capaz de transformar o mal em bem e a escuridão em luz.




Posso dizer que” Malas Memorias e Marshmallows “ e “Bolsas, Beijos e Brigadeiros” são os livros que me fizeram me apaixonar pelos autores nacionais. Durante a leitura eu simplesmente me esquecia de que o autor era brasileiro. Fui transportada para dentro da historia, viajei junto com as personagens.

Fernanda França sempre terá um espaço mais do que especial no meu coração, pois, ela foi capaz de me ajudar a acabar com esse preconceito. Muito obrigada Fernanda!


Encontre a autora nas redes Sociais




Semana que vem, apresentarei mais autor que admiro muito o trabalho e que estou muito ansiosa por conhecer pessoalmente...

E vocês, também tem algum tipo de preconceito? Conhece algum autor nacional? Compartilhe conosco.



Um grande beijo
Ketilin e Clara

sábado, 23 de maio de 2015

Especial Once Upon a Time



Oi oi gente!
Como a 4° temporada de Once Upon a Time (OUAT) acabou no dia 10 de maio, e como essa série é uma de nossas favoritas, resolvemos fazer um resumão para vocês de todas as temporadas.


"O amor verdadeiro é mágico, e não apenas uma magia qualquer, e sim a magia mais poderosa de todas."


1º Temporada.

Na primeira temporada de OUAT, conhecemos a história de Emma Swan, uma jovem 28 anos, tendo sido abandonada quando era bebê, a moça vive sozinha, sem parentes e amigos, e possui um emprego de caçadora de recompensas. No dia do seu aniversário de 28 anos, um garoto chamado Henry bate em sua porta alegando ser seu filho, e Emma jamais imaginará que esse menino mudaria e daria um rumo diferente em sua vida, e também nunca havia pensado na possibilidade de que o filho que deixara em um hospital, poderia encontrá-la algum dia. Henry disse que vinha de uma cidade chamada StoryBrooke e, que nessa cidade, os habitantes não eram apenas pessoas normais, e sim personagens dos clássicos contos de fadas, que foram amaldiçoados pela Rainha Má, e condenados a viverem nesse mundo sem se lembrarem de sua verdadeira identidade. Emma, é claro, que achou tudo isso um grande absurdo, mas concordou em levar o garoto até StoryBrooke. Henry contou para a mãe, que as histórias de contos de fadas não eram bem como as que ela conhecia, e que ela, Emma Swan, seria a salvadora que acabaria com a maldição de Regina (Rainha Má), e assim a loira poderia se reencontrar com seus pais, Branca de Neve e Príncipe Encantado. No decorrer dessa temporada, conhecemos histórias, as 'verdadeiras histórias' de cada um dos personagens, como o Rumpelstiltskin, a Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Príncipe Encantado, Chapeleiro Maluco, e acreditem em mim, será impossível não amar a Rainha Má. Vale lembrar que a 1º temporada ganhou um livro.


"E os contos de fadas, se baseiam em que? Imaginação? E de onde vem? Tem de vir de algum lugar"




2º Temporada

Na segunda temporada de OUAT, Emma tendo finalmente acreditado em seu filho, e quebrado a poderosa maldição jogada pela Rainha Má, vê que seus problemas só começaram, um monstro é solto em StoryBrooke, todos os cidadães da cidade estão desesperados procurando por seus familiares e amores verdadeiros, e a frustração de Emma, por seus pais, Branca e Encantado, a terem mandado para o mundo real sozinha fica bem claro. E como se a Salvadora já não tivesse problemas suficientes, ela e a mãe caem em um portal que as levam para a Floresta Encantada, que agora é um lugar sombrio nada parecido com que Branca se lembrava. Novos personagens surgem, como a Princesa Aurora, Príncipe Felipe, Capitão Gancho, Cora (que é a mãe de Regina e a Rainha de Copas) e credite em mim, se você achava Regina Mills cruel, não queira conhecer a mãe dela. Também conhecemos a história de Mullan. Na segunda temporada começamos a ver o 'lado bom' da Rainha Má, e que ela realmente ama Henry (seu filho adotivo) acima de tudo, o pai de Henry e o filho de Rumpelstiltskin voltam para StoryBrooke, e descobrimos que a árvore genealógica de Henry é bem grande e poderosa. No final da temporada, StoryBrooke é invadida por pessoas de fora, que trabalham para um desconhecido e tem a missão de levar Henry até ele.



"Não ter um final feliz já é doloroso o suficiente, mas dar esperanças fantasiosas à uma pessoa é muito pior."



3º Temporada.

A terceira temporada de OUAT, que até agora, na minha opinião, é a melhor, onde conhecemos novos personagens incríveis, se inicia com Emma, Regina, Sr. Gold (Rumpelstiltskin), Gancho, Encantado e Branca, indo até a Terra do Nunca resgatar Henry, todos estão dispostos a dar seu melhor para levar Henry em segurança para casa. Nessa temporada descobrimos mais coisas sobre o passado de nossos amados personagens, e eu te digo, se você não  passar a amar a Regina depois dessa temporada, eu não sei que tipo de humano você é! Para resgatar o garoto, eles contam com a ajuda de Sininho para enfrentar Peter Pan (que ao contrário do que vocês pensam, não tem nada de bonzinho.), segredos sobre o pai do Sr. Gold são revelados, e eu não vou falar qual é porque seria um sploire bem feio. Quando eles retornam a StoryBrooke, e veem que caíram em uma armadilha de Pan, Regina se vê obrigada a acabar com StoryBrooke, retornando com todos os outros personagens, exceto Emma e Henry, para a Floresta Encantada, a Rainha altera a memória de Emma e Henry, para que eles nunca se lembrem de nada daquilo, e os dois vão morar em New York, enquanto todos os outros estão na Floresta Encantada, que aparentemente foi tomada pela Bruxa Má do Oeste (Zelena), lá, Regina se encontra com o seu provável final feliz. Tudo ia bem na vida de Emma e Henry em NY, até o dia que o Gancho bate na porta dela e a faz tomar uma poção para recuperar a memória. Quando Emma se lembra de tudo, e fica sabendo que os pais estão novamente amaldiçoados em StoryBrooke, corre para lá para ajudar, encontrando a mãe grávida ao chegar lá, e percebe que ninguém deles se lembram do tempo que passaram na Floresta Encantada, e assim não fazem ideia de quem jogou a maldição. Com a ajuda de Regina, ela consegue desvendar esse mistério e derrota Zelena. Todos estavam bem e tinham encontrado seus finais felizes, inclusive Regina, mas bem, por um pequeno incidente feito por um portal e Emma, a Rainha vê seu final feliz sendo arrancado dela. 


"Não ter alguém. Essa é a pior maldição que se possa imaginar"



4º Temporada. 

A quarta temporada de OUAT, foi umas da que menos gostei (pelo menos da 1º fase dela). O portal que trouxe de volta dos mortos a esposa de Robin (o verdadeiro amor de Regina), também trouxe Elsa, a princesa de Frozen, que está em busca de sua irmã Anna; ao chegar em StoryBrooke, Elsa cria um muro de gelo, e culpa a todos lá pelo desaparecimento de Anna, Emma consegue convence-la de que não foram eles que sequestraram Anna, e se oferece para ajudá-la a encontrar a irmã. No meio de tudo isso, eles descobrem que existe outra feiticeira do gelo entre eles, e desconfiam que ela pode saber onde está Anna. Enquanto isso, Regina está em ma luta para não voltar a ser a Rainha Má, e em busca de um contra feitiço para descongelar o coração de Marian (esposa de Robin), e por uma ideia de Henry, ela também está em busca do Autor, para pedir a ele para escrever o seu final feliz. Quando a irmã de Elsa é finalmente encontrada e a feiticeira é derrotada, a paz volta em StoryBrooke. Belle descobre dos planos perversos de seu marido (Sr. Gold), e o bane da cidade, e Regina vê que a única chance de Marian sobreviver é ela sair da cidade, e com o coração partido, Regina diz a Robin para acompanhar a esposa. Com a ajuda das Rainhas das Trevas, Úrsula e Cruella que acidentalmente foram parar no mundo real, ele retorna a StoryBrooke, e os três juntos trazem Malévola de volta à vida, o objetivo deles é simples, encontrarem o Autor e terem seus finais felizes. No decorrer da temporada, Emma descobre mais coisas do seu passado, e descobri que Lily, a única amiga que teve na vida, é na verdade a filha de Malévola, que foi parar no mundo real por causa de Branca e Encantado. Quando o autor é finalmente encontrado, algo terrível acontece, ele muda toda a história, e cabe a Henry, Regina, Emma e Gancho consertar isso, para terem de volta seus finais felizes.

    


Então gente é isso, e acho que nem precisamos dizer o quanto estamos ansiosas para a 5° temporada de Once Upon a Time. 


Um Grande Beijo,
Clara e Ketilin. 





quarta-feira, 20 de maio de 2015

{Textos e Afins} Os Poemas


"Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.

Quando fechas o livro, eles alçam voo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem. E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti…"

Mario Quintana 

domingo, 17 de maio de 2015

{Resenha} A Herdeira

Autora: Kiera Kass
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Número de Páginas: 391
Classificação: 5/5 
Contém spoiler dos três primeiros livros



Sinopse: O que vem depois do "felizes para sempre"? Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou p coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn; a filha mais velha do casal. Criada para ser uma líder forte e independente, ela nunca quis viver um conto de fadas como o de seus pais. Por isso, antes de conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, a jovem está totalmente descrente. Mas, assim que a competição começa, a situação muda de figura, e Eadlyn percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto imaginava 


Visão Geral


No quarto livro da série (que foi lançada inicialmente como trilogia) conhecemos a historia da princesa Eadlyn, filha de America Singer e Maxon Schreave. 

Desde o primeiro momento já percebemos a diferença entre a America e Eadlyn. Enquanto America era explosiva e fazia tudo por impulso, sua filha calculava cada um de seus passos. 

Eadlyn é a primogênita de quatro filhos, nasceu apenas com sete minutos de diferença de seu irmão gêmeo Ahren e com isso herdou o trono e irá se tornar a rainha de Illéa. 
Logo no inicio do livro, percebemos o quanto a princesa foi treinada para se tornar uma rainha competente. Em decorrência disso que construiu um muro ao seu redor, pois ela se acha autossuficiente, não precisa de outras pessoas ao seu redor para conquistar aquilo que mais deseja, aquilo que foi treinada a sua vida toda, se tornar rainha. 


“Eu tentava não reclamar. Afinal, tinha consciência de que era muito sortuda. Mas havia dias, às vezes meses, em que eu sentia um enorme peso nas costas. Peso demais para qualquer pessoa suportar sozinha, na verdade.”



Eadlyn não esperava ter que passar pela Seleção, assim como seus pais. A princesa tentou  de tudo para convencer seus pais a mudarem de ideia, porém ela não conseguiu evitar que A Seleção acontecesse, mas sendo muito teimosa e calculista, a princesa já tinha planos para fazer da vida de seus pretendentes 'um inferno'.  No entanto, o que Eady não imaginava era que seus 35 pretendentes (e que pretendentes ela tinha *-*) iria mexer tanto com seu estado emocional. 

" - Não sei ao certo se acredito em destino. Mas posso dizer que às vezes aquilo que você mais deseja vai cruzar sua porta determinado a te evitar a qualquer custo. E, ainda assim, de algum jeito, você descobre que é suficiente para fazê-lo ficar." 


No decorrer do drama, a princesa começa descobrir que não é adorada por seus súditos, pois, muitos o acham, fria, calculista, mimada, egocêntrica. Característica muito diferente de seus pais. Com isso, a população começa a se voltar contra a monarquia, uma vez que, possuem o receio quanto ao governo de Eadlyn. Seus súditos não conseguem sentir segurança em sua forma de governar, já que ela é sempre distante de todos eles. 

" E apesar de sentir muito ao dizer isso, o problema do povo com a monarquia vem de uma pessoa: você. 
Não sei o motivo - talvez a sua juventude, talvez por você ser mulher, talvez por muitos motivos que nenhum de nós seja capaz de entender - mas é preocupante."



Ao contrario de muitas criticas que lemos, gostamos muito da princesa e sua forma de agir, que conquistou muito mais o nosso carinho do que sua mãe  America (ok nos julguem).
Nós a achamos mimada? Muito, mas desde o inicio a princesa deixa claro que ela não precisa de um marido para se sentir completa. Não precisa de um conto de fadas para poder governar seu país, mas acima de tudo, ela demonstra a cada gesto (muitas vezes errado) o quanto ela ama o pai, o quanto ela quer ajudar a tirar o peso de governar o país sozinho, e fará de tudo para conseguir, nem que para isso ela termine A Seleção com uma aliança no dedo.
Kiera como sempre, conseguir arrancar suspiros com esse livro e me fez desejar imensamente que o tempo passe logo para ler o ultimo livro da serie!  


"  Em todo caso, eu não podia desacelerar agora. Sabia que, por mim – e pela minha família -, eu precisava concluir A Seleção. E quando concluísse, teria um anel no dedo.”







Em homenagem a nossa princesa o leia ouvindo de hoje é uma musica da musa Beyoncé







Leia Ouvindo



Um grande beijo
Ketilin e Clara


quinta-feira, 14 de maio de 2015

{Resenha} Extraordinário

Autor: R. J. Palacio
Editora: Intríseca 
Número de Páginas: 320 
Classificação: 5/5 

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é dificil ser um aluno novo, ais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie, tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. 

Visão Geral


Emocionante, esse é o sentimento que senti ao ler a ultima linha, a ultima palavra deste livro realmente extraordinário.

Neste livro, conheci a vida de August, mais conhecido como Auggie, o garotinho que sofria de uma síndrome onde deformou todo o seu rosto. Auggie havia passado por diversas cirurgias para tentar melhorar sua aparência, mas ainda com todos os procedimentos médicos, seu rosto continuou desconfigurado.


"A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma"


Auggie é uma criança de dez anos como outra qualquer, apesar de sua aparência, porém, nunca havia ido à escola devido as diversas cirurgias que havia feito.

Quando as grandes cirurgias diminuíram, seus pais resolveram matricula-lo na escola, não que isso agradasse o garoto, pois, obviamente, já imaginava por tudo que passaria todos os dias ao redor de tantas crianças que nunca o viram na rua.

Logo que Auggie começa a frequentar a escola, já percebe o quanto as pessoas se assustam com a sua aparência, muitas crianças o tratam como um doente, não chegam perto, não o tocam, e quando isso acontecem, correm imediatamente para lavar suas mãos com medo de que sua síndrome possa ser contagiosa. 


"[...] deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como os monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíam para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas de lembranças que as pessoas têm de você. Por isso nossos feitos não nossos monumentos. Construídos com memórias em vez de pedra." 


Crianças são cruéis, mas seus pais também não facilitam. Além de August sofrer bulling pelas crianças, alguns pais começam a fazer um abaixo assinado para que o garoto seja expulso do colégio. A justificativa é de que a escola não está preparada para receber alguém "especial".

No decorrer do livro, temos a versão de vários personagens e com isso conseguimos ter uma boa visão de tudo o que acontecia na vida do garoto.

Os relatos apresentados pelos outros personagens são emocionantes, mas o que mais me chamou a atenção foi o de sua irmã Olivia, ou Via, como sua família a chamava. Na versão da garota, ela se sentia deixada de lado, pois Auggie sempre 'tomava' muita atenção e tempo de seus pais. Desde pequena a garota aprendeu a se virar sozinha para que não ficasse sempre dependendo de seus pais. Para ela o Auggie é o seu mundo, sente a necessidade de sempre defende-lo de tudo, até mesmo dos olhares atravessados em todos os lugarem em que iam. É possível perceber o amor entre os irmãos, e isso me deixou muito mais emocionada. O simples fato de Via defender seu irmão, de ama-lo e não se importar nenhum pouco com a sua aparência me deixa com lágrimas nos olhos.


"A Olivia às vezes me lembra um pássaro, de penas eriçadas quando ela está chateada. E, quando ela está frágil desse jeito, parece um passarinho perdido à procura do ninho".


Desde a primeira página meu instinto foi abraçar Auggie e não soltar nunca mais, fiquei extremamente emocionada com o final do livro. Chorei, sorri, e agradeci imensamente por essa lição de vida que recebemos. 


"Acho que devia haver uma regra que determinasse que todas as pessoas do mundo tinham que  ser aplaudidas de pé pelo menos uma vez na vida."


Com Auggie eu aprendi que mesmo que todos te olhem como se você fosse um alienígena, mesmo que tentem te derrubar, de agredir verbalmente, você é melhor do que aquilo que pensam, falam ou demonstram à seu respeito. Você é lindo da sua forma, independente de qualquer coisa.


"[...] não é tudo um acaso. Se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. E o universo não faz isso. Ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos"


Este foi um dos livros que me fizeram parar muito tempo para pensar sobre os nossos atos, sobre como tratamos o próximo, como olhamos torto quando uma pessoa que é um pouco diferente dos nossos padrões passam. Sei o quanto isso é errado, mas quase sempre nós cometemos esse erro extremamente grosseiro com pessoas com as pessoas ao nosso redor.


"- ' A grandeza', escreveu Beecher, 'não está em ser forte, mas no uso correto da força... Grande é aquele cuja força conquista mais corações [...] grande é aquele cuja força conquista mais corações pela atração do próprio coração.' "

Tirei muitas lições e aprendi muito com esse livro.

Leitura bem mais do que recomendada!


Leia Ouvindo




Um Grande beijo
Ketilin e Maria Clara

segunda-feira, 11 de maio de 2015

{Resenha} Os 13 Porquês

Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Número de Páginas: 256
Classificação: 5/5


Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.


Visão Geral


Bem, já tem um bom tempo que eu queria ler esse livro, mas como ele é um pouco complicado de achar para comprar fui adiando a leitura, até que me rendi e acabei lendo a versão em pdf. O pdf que encontrei de Os 13 Porquês está em péssimas condições, mas isso não me impediu de me apaixonar pelo livro, que trata de um tema pesado, delicado e extremamente presente nos dias de hoje; que é o suicídio.  


"Depois de tudo que contei nessas fitas, de tudo o que ocorreu, fiquei pensando em suicídio. Na maioria das vezes, era apenas um pensamento passageiro. Eu queria morrer."


Em Os 13 Porquês conhecemos a história de Clay Jensen, um adolescente que tem uma vida razoavelmente boa e normal, até o dia que ele recebe uma caixa contendo 7 fitas, sem nenhum remetente. Quando Clay começa a escutar as fitas, a voz de Hannah Baker, a menina que havia cometido suicídio 2 semanas atrás, invade os ouvidos do menino, e de certa forma o culpando (e mais 12 pessoas) por sua decisão de acabar com a própria vida. Clay que havia realmente falado com Hannah apenas uma vez, não consegue entender o porque de seu nome aparecer nessas fitas, e isso aguça a curiosidade do menino de ouvir as fitas, até porque ele alimentava sentimentos, secretamente, por Hannah.



A cada fita, Hannah fala sobre alguém que teve alguma influência em sua decisão de acabar com a própria vida, as primeiras fitas são, como descritas por ela "leves", mas foi onde tudo começou, onde a bola de neve começou a se formar, fofocas; boatos; intrigas... nada de extrema relevância para levar alguém a pensar em suicídio.


"Um boato baseado num beijo arruinou uma lembrança que eu esperava que fosse especial. Um boato baseado num beijo criou uma reputação. As outras pessoas acreditaram nela e reagiram de acordo com ela. E, às vezes, um boato baseado em um beijo tem um efeito bola de neve. Um boato baseado num beijo é só o começo." 


Os 13 Porquês, em minha opinião, é um daqueles livro que todo mundo deveria ler. Na maioria das vezes, a gente não tem noção alguma do impacto que causamos na vida dos outros. Vocês já pararam para pensar que uma brincadeira idiota, que todos participaram, e que na hora pareceu hilária, pode ter afetado drasticamente a vida de alguém? Ou uma fofoca que você espalhou ou repassou, possa ter sido o começo para alguém pensar em acabar com a própria vida? Ou que talvez, você poderia ter 'salvo' alguém se não tivesse o julgado pela reputação?

Este livro nos faz questionar tudo isso, Hannah Baker não era a garota que todos pensavam ser, ela era apenas uma menina que queria ter uma vida normal, que queria que as pessoas a conhecessem além de sua reputação, uma garota que depois de tantas decepções acabou se perdendo, ela não sabia mais quem era e ela achava que talvez seria melhor nunca saber. Aos poucos Hannah foi se perdendo na escuridão, a cada decepção uma parte dela morria. Parte dela queria pedir ajuda, deu sinais do que pretendia fazer, mas ninguém percebeu, Hannah quase falou disso com alguém, mas depois de tantas decepções que garantia ela teria que não fariam da dor dela uma piada?


"E eu estava certa... mas estava acabada. Estava cheia de lutar. Abri os olhos e mirei o céu noturno. Através do vapor, o mundo inteiro parecia um sonho"


Jay Asher nos faz um alerta importante com esse livro, nunca devemos julgar alguém só pelo o que ouvimos falar sobre ela, temos que conhece-la de verdade. E também nos mostra que não podemos esconder o que sentimos, por mais que dizer em voz alta nossos sentimentos seja, em alguns casos, difícil, guardar tudo só pra gente é pior, pois vai chegar um ponto que a 'bola de neve' vai estar tão grande que você não vai conseguir lidar com ela.



Leia Ouvindo 





Um grande beijo,
Clara e Ketilin




domingo, 10 de maio de 2015

Homenagem a todas as mamães!


Nesse dia tão especial, queremos prestar essa pequena homenagem para as mulheres mais importantes de nossas vidas, as mulheres que deveriam ser eternas.



Ela tem a capacidade de ouvir o silêncio.
Adivinhar sentimentos.
Encontrar a palavra certa nos momentos incertos.
Nos fortalecer quando tudo ao nosso redor parece ruir.
Sabedoria emprestada dos deuses para nos proteger e amparar.     


Sua existência é em si um ato de amor.
Gerar, cuidar, nutrir.
Amar, amar, amar...
Amar com um amor incondicional que nada espera em troca.
Afeto desmedido e incontido, Mãe é um ser infinito.

~Anderson Cavalcante.




Um Feliz dia das Mães para todas vocês que dedicam suas vidas para cuidar dos filhos; que os amam incondicionalmente, apesar de qualquer coisa. 
Nossa mãe é nosso exemplo, nossa rainha, é a forma de amor mais pura e verdadeira que temos.





Um grande beijo,
Clara e Ketilin



sábado, 9 de maio de 2015

{Tag} Jogos Vorazes


Oi oi gente!

Eu vi essa Tag no blog Prefácio, mas também já vi ela em outros blogs e em canais de vlog no youtube. Contém Sploires, então se você não leu todos os livros, cuidado!




TAG 1: Isso ou Aquilo
Quem criou: youtube.com/AurasBookBox




- Gale ou Peeta?

Com certeza Peeta.


- O estilo louco da Effie ou simples como Cinna?
Amo o Cinna, mas prefiro o estilo da Effie, ela é demais <3

- Vida na capital ou se arriscar nos distritos?
Acho que não precisa pensar muito, é claro que é Capital!


- Pão do Distrito 11 ou o ensopado da capital?
O pão, por todo o significado que ele teve na saga, e também porque odeio ensopado.


- Habilidades de arco e flecha da Katniss ou habilidades de luta com facas do Cato?
Habilidades com o arco e flecha, pois assim não se precisa aproximar muito do inimigo para matá-lo.


- Dom de camuflagem do Peeta ou dom de escalada da Rue?
Escalda da Rue.


- Tornar-se um Avox ou ser picado por uma teleguiada?
Eu preferiria nenhum dos dois, mas como tenho que escolher, fico com a teleguiada, não consigo me imaginar sem poder falar pro resto da vida.


- Juntar forças com os carreiristas ou correr para as colinas?
Correr para as colinas.


- Quem é mais fofa? Prim ou Rue?
Com toda certeza a Rue.


- Correr para a cornucópia ou correr para as colinas?
Eu tentaria pegar alguma arma na cornucópia antes de correr para as colinas.



TAG 2: Escolhas e Discussões
Quem criou: youtube.com/RachelSuperBook | youtube.com/thebookmonster



- Quem é seu personagem favorito na trilogia e por que?
Haymitch Abernathy com toda certeza. Primeiramente porque sou apaixonada por ele, e depois ele é todo misterioso, e ao decorrer do livro você vai descobrindo quem ele é de verdade, tudo o que ele já passou, e bem, Haymitch é muito mais que um bêbado inútil. 


- Um personagem que causou boa impressão?
Cinna, desde a primeira vez que apareceu no livro, é impossível não gostar do Cinna.


- Se você pudesse escolher uma arma nos jogos, qual seria e por que?
Minha primeira escolha seria o arco e flecha, mas levando em conta que não tenho o mínimo de pontaria... pegaria um machado, gosto bastante do machado da Johanna. 


- Qual sua opinião sobre o elenco do filme Jogos Vorazes?
Gosto bastante de todo o elenco.


 -Qual tributo é mais parecido com você e por que?
Não tenho a mínima ideia 


- Se imagine nos jogos. Você ficaria sozinho ou teria aliados, qual seria sua estratégia?
Se eu sobrevivesse aos primeiros 5 minutos, ficaria sozinha.


- Qual a cena você estava mais ansioso para ver no filme Jogos Vorazes? E qual para Em Chamas?
Como todos esses filmes já foram lançados... vou falar qual é a cena que estou mais ansiosa para ver em A Esperança - Part.2; A morte da Coin e do Snow.



TAG 3: Sobre a Trilogia
Quem criou: youtube.com/JoeyGraceffa | youtube.com/AlexanderCarpenter



- Qual seu livro favorito da trilogia?
Em Chamas, amo os novos personagens!


- Quanto tempo você duraria nos Jogos Vorazes?
Ficaria extremamente feliz se durasse os primeiro 5 minutos, mas acho que isso não aconteceria.


- Qual a coisa mais estranha que você achou que aconteceria nos livros e não aconteceu (ou você não esperava e aconteceu)?
Eu esperava que o Haymitch se declarasse pra Effie! Eu queria muito que eles ficassem juntos!


- Como você foi apresentado à Jogos Vorazes?
Eu vi os dois primeiros filmes, e fiquei bastante intrigada com o final do segundo, então corri para ler os livro, mas nunca tinha imagina que amaria tanto essa trilogia!


- Momento favorito em Jogos Vorazes (apenas no primeiro)?
Quando Rue morre, é triste e lindo e triste !


- Vilão Favorito?
Presidente Snow.


- Qual distrito você gostaria de morar?
Eu preferiria morar na Capital, mas se tivesse que morar em um distrito seria o 4, amo praia.


- Qual o momento mais emotivo nos livros?
Nossa, foram tantas partes que me emocionei, as mortes; a Anne grávida; Quando Peeta é resgatado da Capital; as entrevistas do Em Chamas.... foram tantas partes.


- Que objeto da sua casa você levaria para a Arena com você?
Não faço ideia


- Qual o plano mais diabólico que alguém planejou nos livros?
Matar o Finnick! Como a Suzanne pode fazer isso?!




Bem gente, a Tag foi essa, se você quiserem deixar sugestões de outras tags fiquem a vontade, vamos adorar respondê-las! E que a sorte esteja sempre a seu favor!





Um grande beijo, 
Clara e Ketilin

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Skoob - a rede social para leitores !


Oi oi gente!

Estou passando aqui para disponibilizar os nossos perfis no Skoob, assim vocês poderão acompanhar o que a gente está lendo, e saberem quais livros já lemos, e se quiserem saber mais sobre algum livro, é só pedir que faremos a resenha.

Perfil da Ketilin (clique aqui) || Perfil da Clara (clique aqui)



Um grande beijo,
Clara e Ketilin


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Lançamento - A Herdeira

Olá leitores lindos,


Finalmente o dia 05/05/2015 chegou e com ele o lançamento do Quarto Livro de A Seleção e meeeeeeu Deus como eu tava ansiosa por isso (amo de paixão esses livros, essa capa, i love Maxon and America)


Fiz a minha aquisição e ele chegou mais rápido do que imaginei


Hoje no meio da tarde fui surpreendida com o meu pacotinho contendo meu livro (sorriso de orelha a orelha )


Tirei algumas fotos para mostrar para vocês verem



Capa

Estou completamente apaixonada por essa capa



Orelha + Marcador

Eu comprei a edição normal mesmo para que todos os livros fiquem iguais na estante, e fui surpreendida quando abri a ultima página do livro e vi que veio o marcador junto 



Letra + Layout 

A editora manteve o layout que foi utilizado nos outros livros. Os capítulos permanecem com a coroa no cantinho (acho isso um charme)



Só posso dizer que estou muito feliz com o livro e estou adorando essa nova Seleção, Eadlyn me cativou logo nas primeiras páginas 

Para todos aqueles que estão no aguardo do livro, espero que se apaixonem assim como eu estou apaixonada pelo meu.

Em breve farei resenha contando o que achei do novo livro da linda da Kiera Kass 

Um grande beijo

Ketilin e Clara 


{Resenha} Corações Feridos

Autora: Louisa Reid
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 256
Classificação: 5/5



Sinopse: Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Sindrome de Treacher Collins - que deformou enormemente seu rosto - e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrivel como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanatico, tranca a porta de casa. No entando, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua familia cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte... Hephzi sonhara escapar, mas falhara. Será que Rebecca poderia encontrar, finalmente, a liberdade? 



Visão Geral


Este ano eu resolvi diversificar um pouco meus gostos literários e comecei a experimentar algumas coisas diferentes. 

Havia comprado o livro "Corações Feridos" no ano passado, mas por conta de toda a correria do ultimo ano da faculdade não consegui ler nada.

Mas esse fim de semana senti que precisava de algo que me surpreendesse, algo mais próximo da realidade. Então resolvi ler esse incrível livro da escritora Louisa Reid.

Bom, Corações Feridos é um livro pesado, pois trata muito da realidade que temos hoje em dia. Este livro conta a vida de Hephzibah a linda irmã gêmea de Rebecca, o monstro, como seu pai a intitulava. Rebecca tinha a Síndrome de Treacher Collins, uma deformação no rosto. O livro é contado por Rebecca no presente e o passado por Hephzibah. 

As meninas são criadas por seus Pais, elas o respeitam mesmo com tudo o que eles fizeram e fazem a elas, tendo a plena consciência de que se saírem da linha, serão severamente punidas. 


"Seu demônio ainda aparece nos meus sonhos, e eu grito por libertação enquanto ele me enlaça, me toma de assalto e me quebra ao meio"


Seu pai é um pastor da igreja, um fanático religioso, junto com sua mãe, mantêm as meninas confinadas dentro de casa, com privação até dos alimentos. Mas Helphzi quer a liberdade, quer se ver fora das garras de seus pais.


"Chorei pela Vovó e por Hephzi tarde da noite, quando ninguém podia me ouvir. Não chorei em seus funerais, mesmo sabendo que isso me fez parecer estranha, porque eu nunca deixaria que os Pais vissem minha dor. Mantenho meu sofrimento escondido, lembra?"


Helphzi não imaginava como acabaria essa ânsia pela liberdade, não sonhava que isso acabaria com a sua vida. A pobre garota morre logo no início do livro, e sua morte se torna um mistério a todos. 

Aos poucos começamos a ter uma breve ideia do que se passada dentro da casa em que viviam, e posso garantir que me senti agoniada, com medo e desesperada ao ler alguns trechos desse livro.


"[...] O mundo era um mar perigoso e eu poderia facilmente me afogar."


A cada página sentimos o amor de Rebecca por Helphzi, era mais que amor, era companheirismo, amizade, admiração e coragem de salvar a vida da irmã a qualquer custo


"[...] A vida é muito curta para a gente não se esforçar ao máximo. Helphzi sabia disso".


É um livro intenso, envolvente e surpreendente. Chorei com alguns relatos das gêmeas, mas recomendo muito a leitura!


Leia Ouvindo:







Beijos,
Ketilin e Maria Clara